Meus Contos Eroticos BR » Incesto » Meu tio me fez uma putinha

    Meu tio me fez uma putinha

    • 12 de outubro de 2020
    • 5 views

    Sou a Carla, vou contar uma parte da minha vida guardada até agora sob sete chaves, tenho um tio o Murilo, imão caçula do meu pai, apenas 2 anos mais velho que eu, crescemos juntos, brincávamos muito como todas as crianças, ele sempre me protegendo, tudo mudou quando Murilo entrou na adolescência, suas brincadeiras mudaram, o modo dele olhar para mim, o jeito que ele me tocava, sob o pretexto de me ensinar a me portar como mulher, me beijava, me acariciava, ele adorava chupar meus peitinhos em formação, e eu passei a adorar chupar seu pau, ele jurou para mim que nunca tiraria a virgindade da minha xana, mas o meu pobre cuzinho era sua tara, assim continuei virgem na frente, mas meu rabinho recebia seu pau quase todos os dias, já laceado engolia seu pau com muito prazer. Mas

    um episódio marcante para mim aconteceu no sitio da família, quando eu pensei que estávamos sozinhos no quarto de casal, baixei sua bermuda e comecei a chupar seu pau gostoso, e ele me deixando peladinha, acariciava meu corpo todo, em especial meu cuzinho que ele dilatava com sua saliva e alguns dedos que eram socados deliciosamente, quando ele percebeu que eu estava doida para ser penetrada, veio a surpresa, ele parou tudo e abriu a porta, entraram dois rapazes, um pouco mais velhos, me examinaram, tocavam e beijavam todo meu corpo e boca, e então o Murilo perguntou a eles se eu merecia o dinheiro que eles estavam pagando para me comerem, eu senti um ódio profundo por meu tio, mas os dois rapazes foram rápidos, ficaram nus exibindo suas varas enormes e duras de tesão por mim, um deles se apoderou de minha boca, outro dos seios, suas mãos me acariciando o corpo inteirinho,

    reparei que tomavam cuidado com minha xana, preservando minha virgindade, as caricias dos rapazes estavam mexendo comigo, minha bucetinha estava se melando inteira, senti quando um deles massageou meu rabinho com um óleo de bebe, depois fui penetrada com um depois com dois dedos ágeis que me fizeram sentir muito prazer, mas estava temerosa pois os paus daqueles dois caras eram maiores e mais grossos do que a do Murilo, deveriam fazer um estrago muito grande em mim, não tive muito tempo para pensar, logo fizeram eu ficar de quatro, e um deles passou sua cabeçona varias vezes na entradinha do meu rabinho, sua penetração foi cuidadosa mas vigorosa ele só parou quando consegui agasalhar todo ele dentro de mim, eu só fazia gemer e gritar numa mistura de dor e de prazer, sentindo aquele pau rasgar meu pobre cusinho, rapidinho o outro enfiou seu pau na minha boca, eu

    conseguia engolir apenas parte daquela vara, mas continuava tentando engolir tudinho, dava um tempo para retomar o fôlego, e voltava a engolir, o rapaz controlava o boquete com suas mãos na minha cabeça, enquanto o outro metia com vontade no meu pobre rabinho, eram tantas sensações novas, ter um pau no cusinho e outro na boca, estava toda suada, minha xaninha babava de tesão, isso tudo fez eu ter meu primeiro orgasmo, ao mesmo tempo que não paravam de me xingar de tudo quanto era nome, elogiavam meu rabo apertado, minha boca gostosa, até que os dois gozaram gostoso, enquanto nós nos recuperávamos o Murilo meteu em meu rabo sem perdão, socando seu pau com violência, eu sentia apenas prazer, pois seu pau era menor do que o outro, deslizando fácil, gozei gostoso e também recebi sua porra dentro de mim, o rapaz do boquete foi o primeiro a se recuperar e sem

    preliminar nenhuma também socou seu pau no meu rabo, mesmo melado de esperma e dilatado, meu rabinho reclamou daquele intruso, bem mais grosso que os outros, chorei, supliquei que ele parasse, estava me arrebentando, mas ele parecia um animal louco, só socava aquilo tudo dentro de mim, sem dó, sem importar com mais nada, parecia que ele estava a horas fodendo meu rabo, o mais incrível de tudo é que do nada passei a ter um prazer, tão intenso que meu corpo não me obedecia, apenas estava louca que ele continuasse a me empalar com aquela vara deliciosa, eu chorava, suplicava para ele socar a vara em no meu rabinho, sem piedade, até um orgasmo fortíssimo,

    que cheguei a desmaiar, ele continuou a me comer, agora me segurando, até gozar como um animal, foi tanto esperma que derramou pela cama, minhas coxas. Acordei um tempo depois, toda dolorida, o Murilo do meu lado, acariciando meu rosto, me beijou muito, me falou que tinha gozado muito vendo eu dar para os dois rapazes, ajudou-me a tomar um banho bem demorado, repousei em seu colo, cuidou de mim direitinho, para alguns dias depois me vender de novo para outros rapazes de sua escola, mas aí já é outra história.

    Contos relacionados

    Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    © 2020 - Meus Contos Eroticos BR